Parlamento britânico rejeita moção para bloquear Brexit sem acordo

Oposição queria impedir saída sem acordo com UE
Oposição queria impedir saída sem acordo com UE
Alkis Konstantinidis/ Reuters – 1.4.2019

O parlamento britânico rejeitou nesta quarta-feira (12) uma moção da oposição trabalhista que propunha tramitar um projeto de lei que bloqueasse a possibilidade de o Reino Unido deixar a União Europeia (UE) sem um acordo.

Por 298 votos a favor e 309 contra, a Câmara dos Comuns descartou uma proposta com a qual a oposição queria impedir que qualquer futuro primeiro-ministro britânico rompesse os laços com a UE antes da ratificação dos termos de saída.

Os trabalhistas tentaram explorar um procedimento parlamentar incomum para forçar a tramitação dessa legislação, uma prerrogativa habitualmente reservada ao partido governante.

O movimento da legenda trabalhista, liderado por Jeremy Corbyn, coincide com o início do processo para a escolha de um novo dirigente dos conservadores, que no final de julho sucederá Theresa May como chefe do governo britânico.

O ex-ministro Boris Johnson, que iniciou hoje a campanha como candidato a esse cargo, disse que, se for escolhido para ocupar o escritório oficial de Downing Street, consumará o Brexit sem pedir uma nova extensão, mesmo que não haja a aprovação de um acordo.

Johnson é o favorito nas pesquisas para ser o próximo primeiro-ministro do Reino Unido, na frente dos atuais titulares de Meio Ambiente, Michael Gove, e de Relações Exteriores, Jeremy Hunt.

Outros candidatos, como o ex-ministro para o Brexit, Dominic Raab, propuseram que o curso parlamentar termine dias antes de 31 de outubro para que a câmara esteja fechada e não possa evitar uma eventual ruptura abrupta com o bloco comunitário.

O porta-voz trabalhista para o Brexit, Keir Starmer, afirmou que sua proposta era uma “válvula de segurança” para o caso de o próximo chefe de governo ser “suficientemente tolo para tentar materializar um Brexit sem acordo e sem o consentimento” do parlamento.