Como Curar Ressaca Segundo a Ciência

Ingerir
bebidas alcoólicas em eventos sociais como em um churrasco ou em uma festa de
aniversário ou até mesmo para relaxar em casa é um hábito comum dos
brasileiros.

O problema se dá quando esse consumo é feito em excesso. Não é novidade que tudo que exageramos tem um efeito negativo em nossas vidas, e com o álcool não é diferente.

Um
dos principais efeitos colaterais da ingestão excessiva de álcool é a ressaca,
que causa diversos sintomas desagradáveis que podem incluir fadiga, náusea, dor
de cabeça, tontura, sensibilidade à luz e ao som e muita sede. Muitas vezes,
tais sintomas prejudicam o rendimento e a produtividade das pessoas, podendo
interferir diretamente na qualidade dos estudos, do trabalho e do bem-estar.

Se você é daqueles que costuma exagerar no consumo de bebidas alcoólicas ou que tende a sofrer de ressaca mesmo bebendo pouco, separamos aqui várias dicas de como curar ressaca segundo a ciência para que você possa aliviar seus sintomas e ficar bem o mais rápido possível.

Ressaca

Uma
ressaca pode ser diferente para cada indivíduo, mas em geral os sintomas são:

  • Náusea;
  • Cansaço;
  • Desidratação;
  • Dor
    de cabeça;
  • Aversão
    à luz e ao som;
  • Sede
    excessiva.

Algumas pessoas sofrem de ressaca mesmo bebendo poucas doses de bebidas alcoólicas pois são mais sensíveis ao álcool. Já outras conseguem beber muito mais, mas na maioria dos casos, a ressaca afeta aqueles que bebem exageradamente.

A
ressaca nada mais é do que um conjunto de sintomas que surge por causa do
excesso de álcool no sangue. A desidratação gerada pelo álcool, por exemplo,
pode desencadear outros sintomas como a dor de cabeça, o cansaço e a sede. Além
disso, o processamento do álcool no organismo gera subprodutos tóxicos como o
acetaldeído responsáveis pela sensação de mal-estar na ressaca.

As
ressacas geralmente começam quando os níveis de álcool presentes no sangue
começam a cair e especialistas afirmam que os sintomas piores e mais intensos
ocorrem quando os níveis chegam a zero.

Como curar ressaca segundo a ciência

Respeitar seus limites e saber quando parar de beber é muito importante para evitar uma ressaca. Mas isso não foi possível e você quer saber como melhorar ressaca? Na lista abaixo, você encontrará algumas dicas de como prevenir e também de como curar ressaca.

1. Limitar o consumo de álcool

O jeito mais óbvio e fácil de diminuir os sintomas de uma ressaca é reduzir o consumo de álcool. O melhor a fazer é evitar consumir álcool em excesso para não ter que lidar com os sintomas da ressaca, já que a incidência dos sintomas e a intensidade deles têm relação direta com a quantidade de álcool que é consumida.

Segundo
um estudo com 112 jovens que estavam de férias e consumiam bastante bebidas
alcoólicas, aqueles que bebiam em maior quantidade sofriam com mais ressacas. O
estudo foi publicado em 2010 no periódico científico Addiction.

De acordo com os pesquisadores da área, é preciso atingir um pico de concentração de álcool no sangue de 0,11 a 0,12% para que ocorra uma ressaca. Conforme dados publicados em 2008 na revista científica Current Drug Abuse Reviews, algumas pessoas podem sentir ressaca depois de ingerir 2 ou 3 doses de bebidas alcoólicas, enquanto outras são consideradas mais “resistentes” e precisam beber mais que isso para sofrer uma ressaca.

Esses
dados sugerem que para evitar uma ressaca ou tornar os sintomas mais leves, o
ideal é beber com moderação.

2. Evitar bebidas com congêneres

Em
2010, outro estudo publicado no periódico Current
Drug Abuse Reviews
mostrou que os congêneres são formados em pequenas
quantidades durante o processo de fermentação do etanol, em que os açúcares são
convertidos em etanol. Congêneres são então o que se chama de subprodutos
químicos tóxicos que podem aumentar a frequência e a gravidade de uma ressaca.
Tais substâncias também podem tornar o metabolismo do álcool mais lento e
prolongar os sintomas de uma ressaca.

Alguns exemplos de bebidas que contêm baixas quantidades de congêneres são o gim, a vodca e o rum. Já bebidas mais escuras como o uísque, o vinho tinto, a tequila e o conhaque têm altas concentrações de congêneres em sua composição. Uma pesquisa publicada em 2010 na revista científica Alcoholism, Clinical and Experimental Research feita com 95 jovens adultos mostrou que beber uísque resultou em piores ressacas do que beber vodca, que contém menor concentração de congêneres.

Assim,
saber o tipo de bebida alcoólica que você está tomando também ajuda a reduzir a
incidência e a intensidade das ressacas.

3. Tomar um café da manhã caprichado

Uma das dicas mais úteis de como curar ressaca logo pela manhã é tomar um bom café da manhã. Isso pode ser explicado pelo fato de que ingerir um bom café da manhã ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue.

O baixo nível de açúcar no sangue não é a causa principal de uma ressaca, mas pode contribuir para o problema. De acordo com estudos, a baixa quantidade de glicose no sangue pode contribuir para o surgimento de sintomas de ressaca como a fadiga e a náusea. Assim, uma refeição ou um lanche rico em carboidratos pode ajudar a aliviar diversos sintomas.

Algumas pesquisas indicam que manter os níveis de açúcar no sangue regulados pode amenizar algumas mudanças que ocorrem quando o organismo recebe muito álcool, como o acúmulo de ácido no sangue.

Segundo uma pesquisa publicada em 2010 no periódico Nature Reviews: Nephrology, o consumo de álcool em excesso pode desequilibrar alguns compostos químicos encontrados no sangue e causar a acidose metabólica, caracterizada pelo aumento da acidez no sangue que pode ter relação com sintomas como fadiga, náusea e vômito.

Desta forma, além de um café da manhã reforçado evitar níveis baixos de açúcar no sangue, é importante que ele seja nutritivo para que o corpo receba vitaminas e minerais que podem ficar em falta depois do abuso de álcool.

Também é muito importante evitar beber com o estômago vazio, pois assim o álcool vai demorar mais tempo para entrar na corrente sanguínea, o que ajuda a manter os níveis de álcool no sangue mais baixos.

4. Dormir bem

Um
estudo de 2015 publicado no periódico Korean
Journal of Family Medicine
mostrou que o álcool pode causar distúrbios do
sono, afetando a qualidade e a duração do sono em algumas pessoas.

Segundo pesquisa de 2009 publicada na revista Substance Abuse, apesar de doses baixas e moderadas de álcool possam ajudar a promover o sono, outros estudos sugerem que a ingestão excessiva da substância em associação com o seu uso crônico pode prejudicar os padrões normais de sono.

A
falta de sono pode piorar os sintomas da ressaca como a fadiga, a
irritabilidade e as dores de cabeça. Assim, é muito importante tentar ter uma
boa noite de sono para que seu organismo possa descansar e se recuperar,
aliviando os sintomas na manhã seguinte.

5. Hidratar-se

O álcool pode causar desidratação devido ao seu efeito diurético, que faz com que a produção de urina aumente, o que pode levar à perda de fluidos e de eletrólitos essenciais para o funcionamento do corpo. O álcool aumenta o volume de micção porque atua inibindo a liberação de vasopressina, um hormônio que reduz o volume de urina produzido pelos rins. Dessa forma, o corpo acaba produzindo mais urina do que realmente precisa eliminar.

Além
disso, pessoas que bebem álcool em excesso podem sofrer com vômitos, o que
também leva à perda de eletrólitos e líquidos.

A
desidratação pode contribuir para sintomas da ressaca como o aumento da sede, a
tontura, a dor de cabeça e a fadiga.

Assim,
a hidratação durante a ressaca pode aliviar muitos dos sintomas. Quanto à prevenção,
é possível alternar uma dose de bebida alcoólica com um copo de água para
evitar a desidratação e moderar o consumo de álcool.

6. Beber mais no dia seguinte

Embora
não seja 100% baseado em evidências científicas, há alguns estudos que indicam
que tomar uma bebida alcoólica na manhã seguinte pode reduzir os sintomas da
ressaca.

Isso
acontece porque a ingestão de álcool altera a maneira como o metanol presente
em pequenas quantidades em bebidas alcoólicas é processado pelo corpo.

Segundo
estudos, depois de ingerir álcool, o metanol é convertido em formaldeído – um
composto tóxico que pode causar alguns sintomas da ressaca. Quando ingerimos
mais uma dose de álcool durante a ressaca, essa conversão é interrompida e é
evitado que mais formaldeído seja formado. Ao invés de produzir mais
formaldeído, o corpo apenas elimina o metanol.

Porém, esse método não é uma boa forma de como curar ressaca porque ele pode resultar em hábitos não saudáveis e levar ao vício. Além disso, é uma atitude arriscada, já que beber mais álcool pode estar apenas atrasando os sintomas da ressaca que em algum momento vão surgir.

7. Usar suplementos naturais

Não
há muitas pesquisas sobre o assunto, mas alguns estudos sugerem que certos
suplementos podem aliviar sintomas de ressaca. Alguns deles são:

  • Gengibre: Segundo estudo publicado em 2010 no periódico Journal of Natural Medicines, a combinação de gengibre com açúcar mascavo e extrato de tangerina melhorou diversos sintomas da ressaca como a náusea, o vômito e a diarreia.
  • Ginseng vermelho: Uma pesquisa de 2014 publicada na revista Food & Function sugere que o uso de suplementos de ginseng vermelho diminui os níveis de álcool presentes no sangue e também a gravidade da ressaca.
  • Pêra espinhosa: Em 2004, uma pesquisa divulgada no periódico científico Archives of Internal Medicine mostrou que esse cacto pode ajudar no tratamento de ressacas por meio da redução dos sintomas e da intensidade deles.
  • Eleuthero: Conhecido também como ginseng siberiano, o eleuthero pode aliviar sintomas da ressaca e diminuir a gravidade dos sintomas. É o que mostram os dados de um estudo publicado no periódico científico Die Pharmazie em 2015.
  • Óleo de borragem: Uma pesquisa de 2012 publicada na revista Advances in Preventive Medicine avaliou a eficácia de um suplemento composto por óleo de pêra espinhosa e borragem e constatou que ele foi capaz de reduzir os sintomas da ressaca em 88% dos participantes.

Mais
estudos ainda não necessários para comprovar a eficácia dos suplementos mencionados
acima.

8. Tomar analgésicos

Alguns analgésicos de venda livre podem ser úteis para reduzir a dor de cabeça relacionada à ressaca.

O uso de alguns medicamentos analgésicos pode ajudar a aliviar sintomas como a dor de cabeça, por exemplo. Remédios como o ibuprofeno, a aspirina, o naproxeno sódico ou outros anti-inflamatórios não esteroides com propriedades analgésicas auxiliam no alívio da dor em geral.

No entanto, não é indicado tomar paracetamol, já que ele pode contribuir para piorar problemas no fígado eventualmente causados pelo álcool em excesso.

Outros
medicamentos que podem ser necessários incluem um antiácido que pode ser útil
em casos de desconfortos estomacais.

Na dúvida sobre o que tomar, procure orientações de um farmacêutico ou de um médico de sua confiança. Se você sofre com ressacas constantemente, não é recomendado tomar analgésicos com frequência para aliviar os sintomas, já que o seu foco deve ser evitar novos episódios destes.

9. Usar vitaminas

Algumas vitaminas podem ajudar quem busca como curar ressaca. Especialistas afirmam que o consumo de vitamina B6, por exemplo, antes, durante ou logo depois de ingerir bebidas alcoólicas ajuda a evitar os sintomas da ressaca.

Tomar
uma dose de um multivitamínico pode ajudar muito a nutrir o seu organismo e
reduzir o mal-estar.

Dicas finais sobre como curar ressaca

Não
existe nenhuma cura instantânea e milagrosa para a ressaca, mas existem muitas
formas aprovadas pela ciência para prevenir e reduzir os seus sintomas.

O
mais importante é se manter hidratado e descansar para que seu corpo se
recupere rapidamente.

Beber
com moderação e ingerir aquelas com menor porcentagem de congêneres pode ajudar
a evitar ressacas no dia seguinte, o que é bem melhor do que ter que lidar com
elas.

Se for possível, faça algum tipo de exercício físico. Isso mesmo, coloque seu corpo em movimento, pois isso vai ajudar a eliminar algumas toxinas através do suor, o que vai permitir que os sintomas da ressaca desapareçam mais rapidamente. Porém, se estiver cansado demais, o melhor é descansar e deixar para se exercitar quando se sentir mais disposto.

Ao
contrário do que muitas pessoas pensam, tomar café não corta os efeitos de uma
ressaca. Embora a cafeína esteja presente em alguns analgésicos que promovem
alívio, beber muito café pode te deixar ainda mais desidratado e é importante
moderar na dose.

A verdade é que não há melhor remédio para ressaca do que tomar precauções para evitá-la. No entanto, ao notar que você bebeu demais, o ideal é beber muita água ainda antes de dormir, pois isso vai ajudar a manter o corpo hidratado, além de seguir as outras dicas mencionadas acima. Sem dúvida, elas vão contribuir para reduzir muito os sintomas no dia seguinte, mas tente tomar mais cuidado na próxima vez que for ingerir bebidas alcoólicas.

Referências Adicionais:

Você já conhecia a maior parte dessas dicas de como curar ressaca? O que costuma ajudar a melhorar para você? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: