Cravinhos, Nardoni e Mizael Bispo vão juntos à audiência sobre livro

41 Vistos
Capa de livro sobre presos
Capa de livro sobre presos
Divulgação

Condenados por crimes de grande repercussão e presos na Penitenciária de Tremembé, o chamado ‘Presídio dos Famosos’, Alexandre Nardoni, Cristian Cravinhos, Mizael Bisto de Souza, entre outros, saíram juntos nesta quarta-feira (26).

Leia também: STJ mantém proibida a publicação de livro sobre caso Nardoni

Eles foram participar de uma audiência no Fórum de São José dos Campos, sobre uma ação que movem contra o ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos (SP) Acir Filló, também detento da unidade, por ter escrito o livro “Diário de Tremembé — O presídio dos Famosos”.

Na página do livro na internet, onde é vendido por 59,90, a sinopse diz que a obra “traz à tona inéditos relatos sobre os midiáticos crimes protagonizados por Alexandre Nardoni, Lindemberg Alves, irmãos Cravinhos, Mizael Bispo, Gil Rugai, Guilherme Longo e outros não menos famosos, como Róger Abdelmassih”.

A reportagem não conseguiu confirmar todos condenados que participaram da audiência. No entanto, fotos que circulam nas redes sociais mostram também a presença de Lindenberg Alves, Gil Rugai e Guilherme Longo.

Os casos

Os presos relatados no livro do ex-prefeito foram condenados por crimes de grande comoção nacional. Alexandre Nardoni, por exemplo, foi apontado pela Justiça como autor da morte de sua própria filha, Isabella Nardoni, jogada pela janela do sexto andar, na Vila Mazzei, zona norte de São Paulo, em março de 2008.

Outro relatado, Cristian Cravinhos foi condenado pela morte dos pais de sua ex-cunhada Suzane von Richthofen, em outubro de 2002. Cristian e Suzane ainda contaram, conforme a decisão da Justiça, com o apoio de Daniel Cravinhos.

O ex-policial militar Mizael Bispo de Souza foi condenado por ter matado a advogada Mércia Mikie Nakashima, em maio de 2010. O preso e a vítima eram ex-namorados. O julgamento teve cobertura ao vivo e terminou com a condenação de Bispo a mais de 20 anos de prisão.

O autor também diz que conta sobre Lindenberg Alves. Ele foi condenado pela morte de sua ex-namorada, Eloá Cristina da Silva Pimentel, em outubro de 2008. O detento manteve Eloá sobre cárcere privado por quatro dias, e também atirou na amiga dela, Nayara Rodrigues da Silva, que também ficou sequestrada.

O preso Gil Rugai é apontado como responsável pela morte do casal de publicitários Luiz Carlos Rugaie Alessandra de Fátima Troitino, pai e madrasta dele. Com 20 anos na época, em maio de 2004, ele ainda voltou no local do crime, um partamento em Perdizes, na zona oeste de São Paulo, logo depois dos assassinatos, e perguntou para polícia o que havia acontecido. Mais tarde, foi apontado como autor dos homicídios.

Guilherme Longo é apontado como responsável pela morte do enteado, o menino Joaquim, em novembro de 2013. A criança, na época com três anos, foi morto com alta dose de insulina e, depois, foi jogado em um córrego em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.