Polícia confronta manifestantes no aeroporto de Hong Kong

A tropa de choque da polícia de Hong Kong que pretendem chamar a atenção dos viajantes internacionais sobre a atual crise política e a brutalidade policial na região administrativa especial da China

As manifestações começaram em junho como uma oposição a um projeto de lei — hoje suspenso — que teria permitido que suspeitos fossem extraditados para a China continental, mas se tornaram um clamor mais abrangente por democracia

Segundo uma pesquisa de opinião citada nesta terça-feira pela televisão local RTHK, a popularidade da líder do governo de Hong Kong, Carrie Lam, chegou a mínimas históricas em em meio aos protestos já considerados históricos. Em uma escala de 0 a 100 (sendo 100 a avaliação mais positiva), a chefe do Executivo conta com uma taxa de apoio de 27,9

O levantamento mostrou ainda que os cidadãos apoiam outra exigência dos manifestantes: o estabelecimento de uma comissão independente que investigue se são certas as denúncias de brutalidade policial durante a resposta das forças da lei aos protestos