• 23 de setembro de 2021 5:32 am

Brasil tem queda nos casos de SRAG na tendência de longo prazo

O número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) apresenta queda na tendência de longo prazo (últimas seis semanas) e estabilidade no curto prazo (últimas três semanas), revela o último Boletim InfoGripe, divulgado hoje (15) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A incidência da síndrome é um parâmetro de monitoramento da pandemia de covid-19, uma vez que o SARS-CoV-2 é responsável por 96,6% dos casos virais de SRAG registrados desde 2020.

A análise apresentada é referente à Semana Epidemiológica 36, que compreende o período entre 5 a 11 de setembro e tem como base dados inseridos no Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até 13 de setembro.

Segundo a Fiocruz, na evolução dos casos e óbitos por faixa etária, foi possível observar tendência de queda de casos entre crianças (até 9 anos) e adolescentes (10-19 anos), após período de estabilização, porém ainda em patamar significativamente elevado em comparação com o histórico da pandemia.

No período de estabilidade, entre a segunda quinzena de julho e a primeira quinzena de agosto deste ano, as crianças (até 9 anos) apresentaram cerca de 1,5 mil novos casos semanais.

Já para os adolescentes (10-19 anos), a média durante a estabilização, entre julho e agosto de 2021, foi de cerca de 240 casos semanais, similar ao platô igualmente elevado que se observou entre março e começo de junho de 2020. “A queda recente, se confirmada, pode colocar essa faixa etária em situação similar àquela registrada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, quando foram observados os menores valores semanais para essa população, com média de 171 novos casos por semana”, informou a Fiocruz.

De acordo com o levantamento, a população adulta, que compreende a faixa de 20 a 59 anos, também retornou ao patamar mais baixo, saindo de cerca de 24 mil casos semanais no pico de maio para a marca de aproximadamente 4 mil casos semanais ao final de agosto de 2021, valor similar à média de casos semanais registrada em outubro de 2020. A mesma situação já havia sido atingida pela população de 60 anos ou mais, há mais tempo, em junho deste ano.

O pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, destacou que a campanha de vacinação teve impacto no número de casos de SRAG. “A redução expressiva no número de casos na população adulta é reflexo do impacto da campanha de vacinação escalonada, que permitiu proteger essa população durante o aumento na transmissão nos meses de abril e maio. Já a estabilização em valores relativamente mais altos na população mais jovem é reflexo da manutenção de transmissão elevada na população em geral.”

Deixe uma resposta