Brasil x Espanha disputam a medalha de ouro no próximo sábado (7), no Japão. Duelo entre as duas equipes reedita Copa das Confederações de 2013

A medalha de ouro no futebol masculino nas Olimpíadas de Tóquio será decidida entre Brasil Espanha. As duas seleções garantiram vaga na final e se enfrentam no próximo sábado (7), às 8h30 (de Brasília), no estádio Saitama, do Japão. E o duelo reúne duas gerações talentosas.

Na análise da lista de convocados, as duas equipes eram as mais preparadas do torneio. Em tese, os melhores se confirmaram, apesar da difícil caminhada até a decisão: há um clássico em Tóquio.

ÚLTIMAS FINAIS DO FUTEBOL MASCULINO EM OLIMPÍADAS

  • 2016: Rio de Janeiro [BRA] | Brasil (5) 1×1 (4) Alemanha
  • 2012: Londres [ING] | México 2×1 Brasil
  • 2008: Pequim [CHN] | Argentina 1×0 Nigéria
  • 2004: Atenas [GRE] | Argentina 1×0 Paraguai
  • 2000: Sydner [AUS] | Camarões (5) 2×2 (3) Espanha

No histórico, é o primeiro duelo dos países desde 2013, quando o Brasil foi campeão da Copa das Confederações. No Rio de Janeiro, venceu os europeus por 3 a 0 no estádio Maracanã.


Legenda: O Brasil venceu a Espanha por 3 a 0 na final da Copa das Confederações de 2013
Foto: reprodução / SporTV

Ao todo, são cinco triunfos e duas derrotas, essas em 1934 e 1990. Para além das Olimpíadas, os confrontos também foram em Copas do Mundo e amistosos.

REUNIÃO DE TALENTOS

A Espanha convocou seis atletas que estavam na Eurocopa de 2021 para as Olimpíadas: o goleiro Unai Simón (Athletic Bilbao); os zagueiros Eric García (Barcelona) e Pau Torres (Villareal); os meias Pedri (Barcelona) e Dani Olmo (Leipzig-ALE); além do atacante Mikel Oyarzabal (Real Sociedad).

Legenda: Rafa Mir é o artilheiro da Espanha nos Jogos Olímpicos com três gols
Foto: AFP

O elenco reúne ainda o atacante Marco Asensio (Real Madrid) e o meia Dani Ceballos (Arsenal-ING). O objetivo é repetir o ouro conquistado em 1992. Antes, o mais próximo era a prata em Sydney-2000.

MEDALHAS DO ESPANHA NO FUTEBOL MASCULINO DAS OLIMPÍADAS:

  • 1992: Barcelona [ESP] | Ouro
  • 2000: Sydney [AUS] | Prata

Na campanha ao mata-mata, ocupou a liderança do Grupo C com 55,6% de aproveitamento: empates com Egito (0x0) e Argentina (1×1), e vitória contra a Austrália (2×0). Nas quartas, goleou a Costa do Marfim (5×1) e superou o Japão na semifinal (1×0).

JOIAS EM CAMPO

O Brasil tem uma equipe com menos experiência e sem algumas estrelas da nova geração como os atacantes Vinícius Júnior e Rodrygo, ambos vetados pelo Real Madrid. Apesar disso, aposta na experiência de Daniel Alves e no talento de Richarlison, nomes que são parte da equipe principal.

Legenda: O atacante Richarlison é uma das estrelas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio
Foto: divulgação / Brasil

A dupla tem o acréscimo do goleiro Santos (Athletico/PR) e do zagueiro Diego Carlos (Sevilla). Em busca de repetir o ouro conquistado na Rio-2016, apresenta coadjuvantes importantes como o meia Claudinho (Bragantino), o volante Bruno Guimarães (Lyon-FRA) e o atacante Antony (Ajax-HOL).

MEDALHAS DO BRASIL NO FUTEBOL MASCULINO DAS OLIMPÍADAS:

  • 1984: Los Angeles [EUA] | Prata
  • 1988: Seul [COS] | Prata
  • 1996: Atlanta [EUA] | Bronze
  • 2008: Pequim [CHN] | Bronze
  • 2012: Londres [ING] | Prata
  • 2016: Rio de Janeiro [BRA] | Ouro

O Brasil encerrou a fase de grupos na 1ª colocação do Grupo F, com 7 pontos: vitórias contra Alemanha (3×2) e Arábia Saudita, além do empate com Costa do Marfim (0x0). Nas quartas, eliminou o Egito (1 a 0). Já na semifinal, empatou em 0 a 0 com o México e avançou nos pênaltis: 4 a 1.

BRASIL X ESPANHA – FINAL DA OLIMPÍADA DE TÓQUIO

  • Local: estádio Yokohama Internacional, no Japão.
  • Horário: 8h30 (de Brasília)
  • Data: 7 de junho, sábado.
  • Transmissão: TV Globo (TV Verdes Mares) e SporTV, com tempo real do Diário do Nordeste
  • Provável escalação (Brasil): Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Arana; Bruno Guimarães, Douglas Luiz e Claudinho; Antony, Matheus Cunha e Richarlison. Técnico: André Jardine.
  • Provável escalação (Espanha): Unai Simón; Óscar Gil, Eric Carcía, Pau Torres e Cucurella; Zubimendi, Merino e Pedri; Olmo, Asensio e Oyarzabal. Técnico: Luis de La Fuente.

Fonte: Diário do Nordeste