• 18 de outubro de 2021 5:39 am

GP da Hungria: Ocon vence pela primeira vez na F1 em corrida excepcional

Confusão provocada por Valtteri Bottas na largada tirou cinco carros da pista e mudou destino de prova no Circuito de Hungaroring, neste domingo; Sebastian Vettel e Lewis Hamilton completam pódio

Nem o torcedor mais esperançoso da Fórmula 1 poderia prever o roteiro do GP da Hungria, neste domingo. Largando da oitava colocação, Esteban Ocon sobreviveu a uma confusão provocada na largada por Valtteri Bottas para vencer pela primeira vez na carreira, segurando o veterano Sebastian Vettel pela maior parte das 70 voltas no Circuito de Hungaroring. Lewis Hamilton, que largou da pole position e caiu para 14º, obteve o terceiro lugar nas últimas voltas ao superar Carlos Sainz, da Ferrari. Max Verstappen, envolvido no incidente inicial, terminou em décimo.

O triunfo veio oito meses após o primeiro pódio de Ocon, com o segundo lugar no GP de Sakhir de 2020, e é a segunda vitória da França desde Olivier Panis em Mônaco, em 1996; antes, a conquista de Pierre Gasly na Itália, no campeonato passado, havia quebrado o jejum do país.

Esteban Ocon, da Alpine, no GP da Hungria — Foto: Lars Baron/Getty Images

A chuva que começou a cair no Circuito de Hungaroring a menos de 1h para o começo da prova foi decisiva para selar o destino de uma corrida imprevisível. Os pilotos abandonaram as estratégias e adotaram os pneus intermediários para a largada, marcada por um “boliche” de Bottas que tirou Charles Leclerc, Lance Stroll, Sergio Pérez, Lando Norris e a si mesmo da disputa.

O fim da chuva fez as equipes se movimentarem para uma nova troca, fazendo 19 dos 20 pilotos relargarem do pit lane enquanto Hamilton ficou sozinho no grid, perdendo um precioso tempo que o jogou para 14º.

Esteban Ocon comemora primeira vitória na F1, no GP da Hungria — Foto: Lars Baron/Getty Images

Além da primeira vitória da Alpine e de Esteban Ocon, e do segundo pódio de Carlos Sainz pela Ferrari, a prova teve a surpresa do desempenho das Williams. Liderada por Nicholas Latifi, que chegou a andar em terceiro lugar por boa parte da corrida, o time conquistou um oitavo lugar com o canadense e um nono com George Russell, somando seis pontos. Essa é a primeira vez que a equipe britânica pontua desde 2019, quando Robert Kubica obteve um décimo lugar no GP da Alemanha.

O resultado inesperado ajudou a RBR a conter os danos provocados pela batida de Bottas. Porém, não impediu que Hamilton retomasse a liderança do campeonato de pilotos com o pódio. O heptacampeão soma 192 pontos contra 186 de Verstappen, diferença de seis. No Mundial de Equipes, a Mercedes superou a RBR e ocupa a ponta da tabela com 300 pontos, dez a mais que a rival.

Esteban Ocon, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton comemoram no pódio do GP da Hungria — Foto: Florion Goga – Pool/Getty Images

A Fórmula 1 encara uma pausa de verão até a 12ª etapa da temporada 2021 no GP da Bélgica, no Circuito de Spa-Francorchamps, em 29 de agosto.

Resultado da prova

Resultado oficial do GP da Hungria — Foto: F1

Os três primeiros

OCON: “Que momento! É tão bom! É fantástico, o que posso dizer? Parabéns ao Fernando também, acho que a vitória também se deve a ele com a luta que ele teve (com Hamilton). É um trabalho em equipe, foi um dia fantástico!”

VETTEL: “Esteban não cometeu um único erro, manteve-se na pista e mereceu a sua primeira vitória. É um ótimo resultado para nós, mas quando se está tão perto, com certeza você sempre vai buscar a vitória ao invés do segundo lugar”.

HAMILTON: “Quero dar os parabéns para a Alpine e ao Esteban pela sua primeira vitória. Ele é uma estrela brilhante há muito tempo. Foi uma corrida difícil e não tinha mais nada no final. Considerando como as coisas correram no geral, temos de estar felizes com o terceiro lugar”.

A largada

A chuva fez os pilotos adotarem os pneus intermediários com exceção de Antonio Giovinazzi, que trocou pelos médios após a volta de apresentação. Enquanto Lewis Hamilton disparava tranquilamente na pole position, seu colega Valtteri Bottas, em segundo, protagonizou um boliche em Hungaroring: com Max Verstappen de um lado, de olho na segunda colocação, e Lando Norris tentando passá-lo por dentro, o finlandês tocou na traseira do piloto da McLaren que, por sua vez, atingiu Verstappen e Sergio Pérez, que vinha em quarto.

Largada do GP da Hungria tirou seis carros da corrida — Foto: Bryn Lennon/Getty Images

Na confusão, Lance Stroll ainda acertou o carro de Charles Leclerc, danificando o bico do carro. Yuki Tsunoda saiu da pista, mas pulou de 16º para quinto; Fernando Alonso, da Alpine, conseguiu escapar dos incidentes. Fim de prova para Bottas, Pérez, Leclerc e Norris. Verstappen caiu para 13º, com danos no assoalho e na estrutura do chassi.

Antes do acionamento da bandeira vermelha, Hamilton estava na ponta à frente de Esteban Ocon e Sebastian Vettel. As duas Williams apareceram na zona de pontuação, com Nicholas Latifi em sexto e George Russell em oitavo. Carlos Sainz, da Ferrari, ganhou 11 posições, de 15º para o quarto lugar. Mick Schumacher, da Haas, apareceu em décimo lugar.

Momentos-chave

1. Lewis Hamilton foi o único piloto a fazer a relargada, com pneus intermediários, já que os outros 14 pilotos voltaram aos boxes para adotar os compostos médios. Russell foi o primeiro a sair do pitlane, ocupando provisoriamente o segundo lugar, mas perdeu a posição para Esteban Ocon e Sebastian Vettel.

2. Hamilton para na volta 5 para trocar os pneus intermediários pelos médios. Com isso, o heptacampeão cai para 14º, à frente apenas de Nikita Mazepin, da Haas, que abandonou a prova com problemas na suspensão depois de colidir com Kimi Raikkonen na saída dos boxes. O finlandês foi punido com 10s pelo lance. Na frente, Ocon assume a liderança, seguido por Vettel e um surpreendente Latifi, que havia largado em 18º.

3. Em último, Hamilton começa então a difícil jornada de tentar recuperar 13 posições para buscar a vitória no Circuito de Hungaroring, conhecido – até então – por não favorecer tantas ultrapassagens. O primmeiro movimento do piloto da Mercedes é sobre Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, pelo 13º lugar.

4. Na ponta, Vettel encostou em Ocon enquanto Latifi abria 1s5 para Tsunoda, mantendo-se em terceiro. No fundo do grid, Verstappen também seguiu vivo na disputa; de olho no décimo lugar, o piloto da RBR escapou da pista ao tentar passar Schumacher, mas conseguiu superar o alemão pela décima colocação, apesar de um toque leve de roda. Hamilton, tentando atacar Gasly, errou e saiu da pista.

5. Hamilton consegue passar Schumacher com a asa móvel aberta e em 11º, na volta 20, visita os boxes novamente para colocar pneus duros, voltando pra pista em 12º. Na volta seguinte, Daniel Ricciardo e Verstappen também param e são ultrapassados pelo heptacampeão da Mercedes em uma tacada só, na saída do pitlane, herdando o décimo posto.

6. Latifi, que se manteve em terceiro à frente de Carlos Sainz, caiu para a sétima colocação alçando o espanhol ao pódio, provisoriamente. O canadense da Williams foi posteriormente ultrapassado por Hamilton no 28º giro, indo pra oitavo.

7. Com a ida de Pierre Gasly, quinto colocado, para os boxes, Hamilton subiu para o sexto lugar e superou Tsunoda pelo quinto posto. Enquanto isso, Verstappen ainda se via preso no fundo do grid, apenas em 12º.

8. Sainz parou na volta 32º, retornando em quarto lugar à frente de Hamilton e abrindo caminho para Fernando Alonso ocupar o terceiro lugar e herdar, em seguida, o segundo lugar com o pit stop de Sebastian Vettel.

9. O líder Ocon parou na volta 38 para trocar os pneus médios pelos duros, colocando Alonso na liderança pela primeira vez em sete anos, desde o GP da Hungria de 2014. O espanhol, porém, também faria sua troca no giro seguinte, devolvendo o posto ao colega de equipe. Lá trás, Verstappen permanecia em 11º.

10. Vettel se aproximou de Ocon, a menos de 0s4 do francês, enquanto Hamilton, na quarta colocação, parou novamente para voltar aos pneus médios. Caindo para quinto, o britânico abriu caminho para Alonso ocupar o quarto posto.

11. Vettel tentou passar Ocon na volta 49, colocando Giovinazzi na zona dos retardatários, mas o francês manteve a liderança.

12. Enquanto Vettel se mantém a menos de 1s de Ocon, na vice-liderança, Alonso abriu a asa para tentar superar Sainz, sem sucesso. A partir daí, o espanhol da Alpine se viu num confronto particular com seu antigo colega de equipe nos tempos de McLaren, Hamilton, na briga pelo quarto lugar. Os dois chegaram a tocar pneus, na volta 55, mas mesmo com a asa aberta, o britânico da Mercedes não conseguiu passar.

12. Verstappen ultrapassa Ricciardo e consegue o décimo lugar.

13. Depois de uma batalha épica contra Alonso, Hamilton finalmente supera o rival pelo quarto lugar, a cinco voltas para o fim da prova. No 67º giro, o britânico abre a asa para ultrapassar Sainz e garantir o último lugar no pódio.

Fonte: G1

 

Deixe uma resposta