• 18 de outubro de 2021 8:29 am

Após três semanas em erupção, Cumbre Vieja não dá sinais de diminuição de atividade vulcânica

Há duas semanas, magma alcançou o mar, matou peixes e provocou desequilíbrios ambientais ainda não avaliados

Depois de três semanas em erupção, o vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, no arquipélago das Ilhas Canáriasnão dá nenhum sinal de diminuição das atividades. Especialistas dizem que não é possível prever até quando vai a erupção. Poderá durar mais alguns dias ou até meses.

O acúmulo da lava em alguns pontos passa de dez metros de altura. Faz duas semanas que o magma alcançou o mar, matando peixes e provocando desequilíbrios e danos ambientais, ainda não avaliados.

Esta segunda-feira (11) foi mais um dia em que a cratera amanheceu com atividade vulcânica. Além da lava que desce a montanha, a população tem que lidar com os pequenos terremotos provocados a cada golfada do vulcão. São cerca de 30 tremores por dia.

Nem mesmo a cratera suportou a força das erupções. Várias fissuras se abriram até que o cone que dá forma ao vulcão desmoronasse. Com a abertura maior, a quantidade e a velocidade da lava aumentaram.

O governo da Espanha aprovou a ajuda no valor de 240 milhões de euros, o equivalente a quase R$ 1 bilhão e meio, para recuperar as finanças de La Palma. O dinheiro vai para a reconstrução das mais de mil casas consumidas pela lava, mas a maior parte será aplicada na agricultura e na pesca que movem a economia da ilha e foram gravemente afetadas.

Veja mais sobre o tema na matéria que foi ao ar esta segunda-feira (11) no Jornal da Tarde:

Fonte; TV Cultura

 

Deixe uma resposta