São Paulo tem protesto contra queimadas na Amazônia

A avenida Paulista, no centro de São Paulo, está completamente interditada, na região do MASP, para um ato pedindo mais proteção à Floresta Amazônica e contra as políticas ambientais do Governo Bolsonaro.

Em gritos de ordem, os manifestantes exigem mudanças nas políticas ambientais do governo, a saída do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e até saída do presidente Jair Bolsonaro (PSL) do poder.

“Eu vou pra rua, pela floresta” cantavam os manifestantes em um ato pelo aumento das queimadas na área brasileira da floresta amazônica.

“Ele colocou pessoas em cargos que tiveram decisões erradas e seu discurso contribui para o aumento nas queimadas e no desmatamento. Isso é um crime contra as futuras gerações”, afirmou a psicóloga Rita Pereira.

O protesto, que é pacífico, é acompanhado por dezenas de policiais militares.

Em todo o canto dezenas de pessoas, algumas famílias e até crianças, circulam com faixas e cartazes pedindo mais proteção ao meio ambiente.