Duas semanas antes, jovem disse à avó que queria desaparecer

Jovem já tinha desaparecido em 2014, aos 11 anos de idade
Jovem já tinha desaparecido em 2014, aos 11 anos de idade

Arquivo Pessoal

Gabriel Santos de Souza nunca mais foi visto desde o dia 6 deste mês, quando saiu em torno das 12h40 de sua casa em Ferraz dos Vasconcelos, com direção à escola Marta Calixto Cazagrande. Como sempre fazia quando ia para o colégio, o jovem de 16 anos caminhava sozinho para um dos poucos lugares que passava além da igreja. 

Leia mais: São Paulo registra uma média de 23 desaparecidos a cada dia

“Ele ia de casa para escola, e da escola para igreja” conta a tia de Gabriel, Iara Liana dos Santos, que é dona de uma oficina mecânica da cidade. O garoto tinha se apegado mais ainda à religião no começo deste ano, quando saiu da Bahia para morar na cidade paulista junto com sua mãe. 

Um dia depois do desaparecimento, a família de Gabriel entrou com Boletim de Ocorrência no 1° DP (Ferraz de Vasconcelos). Silvânia Lina dos Santos, mãe do jovem desaparecido, descobriu que Gabriel estava há uma semana sem ir à escola.

A dona de casa contou que recebia constantemente reclamações da escola sobre o comportamento agressivo e displicente do menino no local. As broncas de Silvânia poderiam ter motivado o desaparecimento de Gabriel, que não estava se adaptando à vida em Ferraz de Vasconcelos.

Segundo a mãe do desaparecido, o jovem também estava acostumado a viver na rua, hábito que tinha quando morava em Utinga, cidade da Bahia. Gabriel costumava ir à igreja com a vó, para a qual teria revelado a vontade de desaparecer, ainda de acordo com Silvânia. “Duas semanas antes de ele sumir, ele disse para minha mãe que um dia queria desaparecer”, contou a dona de casa.  

Sumiço com 11 anos

Gabriel já havia desaparecido em 2014, quando, aos 11 anos, foi encontrado depois de 15 dias desaparecido na cidade de Santos. Na época, ele morava na mesma cidade com o irmão Breno Santos de Souza.

Os dois foram morar junto ao pai pouco tempo depois, na cidade de Utinga, Bahia. Depois do assassinato do irmão, o jovem voltou a São Paulo em março deste ano. A tia e a mãe de Gabriel contaram que por mais que ele se comportasse de forma normal na maior parte do tempo era possível  “ver uma tristeza no fundo do olhar dele”, segundo Iara.

Leia mais: Aos 76 anos, idosa desaparece em SP: ‘Disse que ia encontrar a mãe’

Quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro de Gabriel Santos de Souza deve entrar em contato com Silvânia pelo telefone (11) 98622-4854.

Caso note estranheza na situação de um familiar, saiba que não é preciso esperar 24 horas para realizar o boletim de desaparecimento – você pode ir imediatamente em qualquer delegacia.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas