4 Remédios para Gastrite Mais Usados

4 Remédios para Gastrite Mais Usados

8 de outubro de 2019 0 Por Clayton Lima

Remédios para gastrite

Além de conferir algumas das principais causas de gastrite, aqui você também verá quais são os remédios para gastrite mais usados atualmente – para que saiba o que esperar do seu tratamento contra essa inflamação, além de algumas dicas de como tratar o problema com soluções caseiras e de como se prevenir da gastrite.

Essa inflamação no estômago pode causar maus sintomas como dor, azia e queimação, e o tratamento, quando seguido à risca, traz resultados bons e rápidos. Porém, se não for tratada, a condição pode perdurar por bastante tempo. Entenda aqui se a gastrite tem cura ou não.

Gastrite

A gastrite é uma inflamação que afeta o revestimento protetor do estômago que pode ser aguda ou crônica. No caso da gastrite aguda, há uma inflamação súbita e grave. Já a gastrite crônica é caracterizada por uma inflamação a longo prazo.

Embora seja menos comum, existe também a gastrite erosiva, que é uma versão mais grave da gastrite que pode resultar em hemorragias e em úlceras no revestimento estomacal.

Nem sempre uma pessoa com gastrite
apresenta sintomas perceptíveis, mas os mais comumente relatados são:

  • Náusea;
  • Indigestão;
  • Dor;
  • Vômito;
  • Sensação
    de plenitude na parte superior do abdômen depois de comer;
  • Queimação
    no estômago;
  • Mal-estar.

Quem sofre de gastrite erosiva
pode sentir sintomas adicionais como:

  • Fezes
    pretas;
  • Dor
    intensa;
  • Vômito
    escuro (parecido com borra de café) ou com sangue.

Principais causas de gastrite

Se, por algum motivo, o revestimento do estômago estiver mais fraco ou sensível do que o normal, os sucos digestivos encontrados no estômago danificam e inflamam esse revestimento, ocasionando a gastrite.

Diversos fatores podem contribuir
para aumentar o risco de gastrite incluindo características estruturais como
ter um estômago fino ou certos hábitos diários.

Uma infecção bacteriana
gastrointestinal causada pela Helicobacter pylori pode causar gastrite.
Essa bactéria que pode infectar o revestimento do estômago pode ser transmitida
de pessoa para pessoa e também pode ser adquirida por meio da ingestão de água
ou alimentos contaminados.

Além da bactéria, outros fatores
que podem elevar o risco de gastrite são:

  • Uso frequente de anti-inflamatórios não esteroides como a aspirina e o ibuprofeno;
  • Consumo abusivo de álcool;
  • Uso de drogas como a cocaína;
  • Idade avançada já que o revestimento do estômago tende a ficar mais fino com o passar dos anos;
  • Uso de tabaco.

Outros fatores de risco menos
comuns são:

  • Distúrbios
    autoimunes;
  • Infecções
    virais;
  • Lesão
    grave, doença ou cirurgia;
  • Distúrbios
    digestivos como a doença de Crohn.

O estresse e a ansiedade podem fazer com que algumas pessoas desenvolvam gastrite nervosa. Apesar de sintomas comuns de gastrite como queimação e azia serem observados, a gastrite nervosa é uma condição em que não há uma inflamação de fato. Nesse caso, os sintomas são desencadeados por questões emocionais.

Diagnóstico

Antes de indicar o tratamento, o médico deve fazer um diagnóstico para confirmar que você tem gastrite. Alguns exames que podem ser solicitados incluem exames de sangue e de fezes para verificar sinais de infecção e uma endoscopia para checar se existe inflamação no estômago. Adicionalmente, podem ser solicitadas radiografias do trato digestivo com contraste de bário.

O exame de sangue dá informações
úteis sobre a contagem de glóbulos vermelhos que podem indicar se há uma
hemorragia no local e também se existe uma infecção bacteriana no organismo. Já
o exame de fezes serve principalmente para verificar a presença de bactérias ou
de sangue.

A endoscopia é um exame em que o médico insere um endoscópio – um tubo fino que contém uma câmera bem pequena na ponte – através da boca ou do nariz para verificar como está o revestimento do estômago. Por meio desse exame, é possível confirmar a inflamação e até remover uma amostra de tecido para biópsia, se necessário.

Tratamento

Como em muitas outras condições de saúde, o tratamento dependerá da causa da gastrite. Por exemplo:

  • Se a gastrite for causada pela H. pylori, o tratamento deverá ser feito com antibióticos;
  • Se a gastrite resultar do uso de certas substâncias ou medicamentos, o tratamento deve envolver a interrupção do uso de tais substâncias.

A seguir, fizemos uma lista com os
tipos de remédios para gastrite mais usados e como eles atuam no organismo para
tratar a condição.

Remédios para gastrite mais usados

1. Inibidores da bomba de prótons

Os inibidores da bomba de prótons são medicamentos que agem bloqueando as células responsáveis por criar o ácido gástrico. Exemplos dessa classe de remédios para gastrite incluem o omeprazol, o lansoprazol, o rabeprazol, o dexlansoprazol e o esomeprazol.

Porém, o uso a longo prazo de
remédios como o omeprazol – principalmente em altas doses – pode aumentar o
risco de alguns efeitos adversos como a insuficiência renal, deficiências
nutricionais e a demência. O risco de fraturas na coluna, no punho e no quadril
também pode aumentar.

Por causa do risco do uso em altas
doses e por muito tempo, os inibidores da bomba de prótons geralmente só são
vendidos quando prescritos por um médico.

2. Antiácidos

Um antiácido costuma ser um remédio eficaz para alívio rápido da dor da gastrite pois eles atuam neutralizando o ácido já presente no estômago. Exemplos são medicamentos como Eno e Sonrisal.

Há antiácidos que podem causar
efeitos colaterais como diarreia ou constipação e é importante procurar um
médico se alguma dessas coisas acontecer.

3. Redutores de ácido ou bloqueadores H2

Remédios para gastrite como a ranitidina, a nizatidina, a cimetidina e a famotidina são conhecidos como redutores de ácido ou bloqueadores da histamina 2. Eles diminuem a quantidade de ácido produzida pelo estômago.

A redução da quantidade de ácido
que é liberado no trato digestivo permite aliviar a dor e dar tempo para que o
revestimento do estômago se cure da inflamação.

4. Antibióticos

Um ou dois ciclos de antibióticos
– o equivalente a 7 ou 14 dias de tratamento – costuma ser suficiente para
tratar uma infecção por H. pylori. Antibióticos como a claritromicina, o
metronidazol e a amoxicilina são os mais indicados.

É indispensável tomar as doses do
antibiótico nos horários e nas doses corretas para que a bactéria seja
eliminada. Além do antibiótico, pode ser recomendado tomar também um inibidor
da bomba de prótons.

Complicações

Quando a gastrite não é tratada
adequadamente, complicações como hemorragias e úlceras podem ocorrer. Outras complicações
são:

  • Anemia;
  • Desidratação;
  • Erosão
    gástrica;
  • Perfuração
    do estômago.

Alguns tipos de gastrite podem
inclusive aumentar o risco de câncer de estômago, principalmente em pessoas com
o revestimento estomacal fino.

Outras dicas para tratar a gastrite

As dicas
abaixo incluem algumas mudanças de hábitos e remédios caseiros que podem
promover alívio dos sintomas da gastrite e até mesmo evitar novas crises.

– Probióticos

Os probióticos podem ser aliados
no tratamento da gastrite já que há relatos de que ele pode manter a flora
digestiva saudável eliminando bactérias do tipo H. pylori – que podem
causar a gastrite – e tratar úlceras gástricas.

Exemplos de alimentos ricos em probióticos são o iogurte, o kefir, o kombucha, o kimchi e o chucrute. Porém, não existem evidências de que eles realmente podem ser úteis contra a gastrite.

– Alimentação adequada

Algumas alterações na dieta podem ajudar no tratamento da gastrite. Comer refeições menores e mais frequentes pode ajudar a manter a produção de ácido estomacal constante e evitar irritações na parede do estômago, além de evitar que o sistema digestivo fique sobrecarregado com uma refeição muito grande.

Também é eficaz evitar fumar,
limitar o consumo de álcool e evitar o consumo de alimentos que podem irritar o
estômago como produtos alimentícios condimentados, apimentados, fritos,
açucarados ou ácidos além de bebidas como café, refrigerantes e álcool.

– Extrato de alho

Um estudo publicado em 2014 no
periódico World Journal of Gastroenterology mostra que o extrato de alho
pode reduzir sintomas de gastrite. Além do extrato, o estudo mostra que esmagar
o dente de alho cru e ingeri-lo produz o mesmo efeito.

Como pode ser bem difícil comer o alho cru, uma dica é misturá-lo com uma colher de pasta de amendoim que ajudará a mascarar o sabor forte do alho.

– Vitamina B12

Há um caso específico em que a gastrite é causada por anemia perniciosa, que é uma anemia resultante da deficiência de vitamina B12. Nesse caso, o tratamento consiste em corrigir a deficiência nutricional por meio da alimentação e de suplementos.

– Mudança de analgésico

Alguns analgésicos como a aspirina
e o ibuprofeno podem aumentar o risco de gastrite ou piorar a gastrite já
existente. O paracetamol é um tipo de analgésico que causa menos irritação e é
mais indicado para pessoas propensas a desenvolver inflamação no estômago.

– Chá verde com mel manuka

Uma pesquisa publicada na revista Diagnostic
Microbiology and Infectious Disease
em 2015 atestou que beber chá verde (ou
chá preto) uma vez por semana pode reduzir a quantidade de H. pylori no
trato digestivo.

O mel de manuka é um mel
extremamente benéfico para a saúde que apresenta propriedades bactericidas.
Assim, ao adoçar o chá com um pouco desse mel, o poder bactericida da bebida é
ainda mais forte, podendo ajudar no tratamento da gastrite causada por
bactéria.

– Óleos essenciais

Segundo um estudo de 2003
publicado no periódico Antimicrobial Agents and Chemotherapy, óleos
essenciais de capim limão e verbena podem aumentar a resistência à bactéria H.
pylori
em testes feitos em laboratório.

Dessa forma, eles também podem ser
úteis para tratar gastrite causada por uma infecção bacteriana.

Conselhos finais

Mudanças de dieta e de estilo de
vida podem ser suficientes para que você não tenha mais gastrite. No entanto,
se os seus sintomas persistirem mesmo após a adoção de hábitos mais saudáveis,
é hora de procurar um médico. Outros sinais de que você deve buscar auxílio
especializado são:

  • Indigestão
    que dura uma semana ou mais;
  • Vômito com
    sangue;
  • Sensação
    de que o uso de algum medicamento está causando a gastrite;
  • Indigestão
    que causar dor e desconforto constante;
  • Fezes com
    sangue;
  • Fezes
    escuras.

Aprender técnicas para gerenciar
melhor o estresse no dia a dia também pode ser importante para tratar a
gastrite nervosa. Existem várias de lidar com o estresse e a ansiedade e
relaxar. Exemplos incluem a prática de exercícios físicos, a meditação,
massagens e exercícios de respiração.

O acompanhamento psicológico também pode ajudar, já que o uso de remédios para gastrite nervosa só vai promover um alívio sintomático.

Alguns remédios caseiros podem realmente e mudanças na alimentação podem realmente ajudar a tratar a gastrite, mas é essencial visitar um médico se os sintomas não pararem ou ficarem indo e voltando.

Referências Adicionais:

Você já usou algum desses remédios para gastrite que listamos acima? Teve bons resultados com ele? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.