Ainda sonhando com Libertadores, Atlético-GO e Santos ficam no 1 a 1

Dois gols de pênalti evitaram que Atlético-GO e Santos encerrassem o sábado (6) sem balançarem as redes. O empate por 1 a 1 no estádio Antônio Accioly, em Goiânia, pela 35ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, impediu que Dragão e Peixe se fortalecessem na disputa por um lugar na próxima Libertadores.

O Rubro-Negro foi aos 46 pontos, ganhando uma posição e assumindo o 12º lugar. O Alvinegro, com um ponto a mais, está em 10º, mas sem ganhar há quatro partidas pelo torneio nacional. Com o Palmeiras campeão da Libertadores de 2020, se o Grêmio (sexto colocado, com 53 pontos) vencer a Copa do Brasil, pode abrir uma vaga na edição 2021 da competição sul-americana ao oitavo colocado do Brasileirão, que atualmente é o Corinthians, com 48 pontos.

Dois chutes da intermediária, um de cada lado, ambos para fora, foram as únicas finalizações dos primeiros 30 minutos de jogo. Tanto Atlético como Santos demonstravam muita lentidão e pouca criatividade em um gramado muito pesado e enlameado, devido à chuva. A sensação era de que as redes só balançariam na bola parada. Não deu outra. Aos 30 minutos, o lateral Dudu foi derrubado na área pelo atacante Arthur Gomes e o árbitro Marcelo de Lima Henrique deu pênalti, gerando muita reclamação dos santistas. O goleiro Jean bateu e abriu o placar.

O gol deu pouco mais de ânimo à partida, ainda que as duas equipes não caprichassem na pontaria. Das oito finalizações da primeira etapa, apenas duas (ambas do Atlético) foram em direção à meta. Os atacantes Janderson e Wellington Rato, pelo Dragão, e Kaio Jorge, no lado santista, tiveram chances em arremates de fora da área, mas as bolas foram longe.

No segundo tempo, o meia Matheus Vargas recebeu cartão amarelo após uma dividida com o lateral Luan Peres. Avisado pelo árbitro de vídeo (VAR), porém, Marcelo de Lima Henrique acabou expulsando o jogador do Atlético. Desta vez, as reclamações foram do lado rubro-negro. Com um a mais em campo, o Santos passou a dominar as ações ofensivas. Sem o atacante Marinho (contundido), o time da Vila apostou praticamente o tempo todo em cruzamentos, buscando os atacantes Bruno Marques (de 1,94 metro) e Marcos Leonardo.

A estratégia acabou funcionando. Aos 33 minutos, na sequência de uma cabeça de Marcos Leonardo, a bola encostou no braço do zagueiro Éder. O próprio camisa 36 do Peixe cobrou e deixou tudo igual. O zagueiro Laércio, de cabeça, aos 37 minutos, forçou Jean a uma grande defesa no reflexo. Aos 42, o meia Jean Mota recebeu na área, mas bateu por cima da meta. Com os quatro atacantes sufocando a linha de cinco defensores atleticana, o Alvinegro pressionou atrás da virada, mas o placar não se alterou.

Atlético e Santos voltam a campo pelo Brasileirão no próximo fim de semana. No sábado (13), o Peixe recebe o Coritiba na Vila Belmiro, em Santos (SP), às 19h (horário de Brasília). No domingo (14), o Dragão encara o Athletico-PR na Arena da Baixada, em Curitiba, às 18h15.

O Rubro-Negro, porém, tem novo compromisso neste domingo (7), pelas quartas de final da Copa Verde. Com um time alternativo, os goianos visitam o Brasiliense no estádio Boca do Jacaré, em Taguatinga (DF), às 15h30, com transmissão ao vivo da TV Brasil. Superado por 2 a 1 na partida de ida, em casa, a equipe atleticana tem de ganhar por ao menos dois gols de diferença para avançar.

Veja a classificação da Série A do Brasileiro.

%d blogueiros gostam disto: