Carlos Alberto da Cunha disse no post que a ação policial teria ocorrido na sexta-feira e afirmou que esclarecerá “perseguição” que vem sofrendo da imprensa

Da Cunha em post em rede social em outubro de 2020 Foto: Reprodução

RIO — O delegado Carlos Alberto da Cunha, de 43 anos, conhecido como “Da Cunha”, voltou a publicar nas redes sociais vídeos de uma operação policial na Cracolândia, em São Paulo, que, segundo ele, teria acontecido na última sexta-feira. As cenas, aparentemente filmadas pelo próprio delegado e divulgadas em seu perfil do Instagram neste domingo, mostram a Polícia Civil tentando dispersar centenas de usuários de crack da região. Da Cunha foi indiciado pela Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo na quinta-feira (24) sob a suspeita de peculato.

No vídeo de pouco mais de um minuto, o delegado youtuber pede a atenção do governador e prefeito da capital paulista e fala que os usuários de crack “precisam de vagas e pessoas do lado incentivando a internação”. Ele complementa afirmando que “os traficantes precisam ser presos”. Por volta de 30 segundos do vídeo, é possível ouvir a voz de outro homem comentando com Da Cunha sobre ter pessoas “muito bem vestidas” no local. “Tem o usuário habitual e o usuário viciado, tem gente de tudo quanto é tipo”, diz. Em seguida, faz uma afirmação: “a gente vai é levar tiro se ficar aqui”.

O delegado youtuber usou o post para parabenizar a ação dos agentes civis e militares, e convidar o público a conferir o seu novo vídeo no YouTube, no qual ele conversa com algumas pessoas em situação de rua da Cracolândia e mostra o movimento do bairro durante a noite. Ainda na publicação, o policial prometeu uma “live” para esclarecer a “perseguição” que vem sofrendo da imprensa. Até o início desta tarde, o conteúdo já tinha mais de 200 mil visualizações no Instagram e cerca de 166 mil no YouTube.

Da Cunha foi indiciado na última quinta-feira, sob a alegação de que vinha utilizando a estrutura da Polícia Civil para gravar vídeos de operações oficiais que foram exibidos em suas redes sociais particulares. O delegado está afastado de suas funções desde julho, acusado de ter causado danos à imagem da Polícia Civil e à segurança da população com as postagens.

O estopim para a suspensão do agente foi um post em que cita uma ação solitária na Cracolândia. Da Cunha aparece armado na foto, acompanhada pelo texto: “Operação São Paulo em andamento. De volta às ruas. Mas agora sozinho.O tio Da Cunha só sabe de uma coisa #pracimadeles”. A ação começou a ser chamada de “Operação Rambo”, após a publicação de uma reportagem da “Folha de S. Paulo”. O policial responde, no total, a sete processos por causa de posts em redes sociais.

O GLOBO procurou a assessoria do delegado para esclarecer a nova publicação do vídeo durante a operação na Cracolândia, bem como a Polícia Civil para confirmar a ação na região, no entanto, até o fechamento desta reportagem não obteve respostas.

* Estagiária sob a supervisão de Carla Rocha