Morre no Rio, aos 104 anos, o policial mais antigo da Polícia Militar

Morreu em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, neste domingo (18), aos 104 anos, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho, da Polícia Militar do antigo estado da Guanabara, quando o Rio ainda era capital da República. Ele era o policial mais antigo da instituição.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Hoje nos despedimos do policial mais antigo da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. O Tenente-Coronel João Freire Jucá Sobrinho, tinha 104 anos e ingressou na corporação como soldado, em 1934. Ele se dedicou durante 29 anos ao serviço na #PMERJ e colecionou diversas medalhas. Fica aqui nossa homenagem! Um grande exemplo para as próximas gerações. Combateu um bom combate, encerrou a carreira e guardou a fé… A #policiamilitar agradece pelos serviços prestados! #Luto #servireproteger #veteranos #familiaazul #valorizeanossahistória #valorizequemteprotege

Uma publicação compartilhada por PMERJ (@policiamilitar_rj) em

O oficial superior passou por duas guerras mundiais, gripe espanhola e covid-19 e morreu em casa de mal súbito. Antes, há três semanas, sofreu um derrame e foi levado para um hospital da região serrana. Depois de internado por 11 dias, voltou para casa para se recuperar.

O tenente-coronel Jucá Sobrinho ingressou na Polícia Militar como recruta no dia 20 de julho de 1934 e passou por vários batalhões, entre eles, o 2º batalhão, em Botafogo e o 3º batalhão, no Méier. Depois fez  cursos para cabo e sargento e mais tarde, passou para oficial, ingressando na Cavalaria. Ele comandou também a Companhia de Motociclistas, baseada no 4º batalhão, em São Cristóvão. O registro geral de Jucá na PM é 00104.

Depois de mais de 40 anos na corporação, passou para a reserva remunerada, no posto de tenente-coronel. Antes, decidiu morar em Petrópolis, aos 59 anos, onde foi lotado no batalhão da cidade.

Em depoimento para a página da Polícia Militar, o tenente-coronel João Freire Jucá Sobrinho disse que “foi muito boa a minha vida na carreira militar. Muito reconhecimento. Eu procurava trabalhar direito para fazer jus a isso. A Polícia Militar sempre foi muito boa para mim”, declarou.

Jucá Sobrinho nasceu no bairro de Anchieta, zona  norte do Rio de Janeiro. Ele deixa a esposa Vanda, de 95 anos, cinco filhos, 17 netos e 22 bisnetos.  

O corpo do militar foi velado no Cemitério de Petrópolis, onde ocorreu o enterro hoje à tarde.

%d blogueiros gostam disto: