Orquestra Sinfônica Brasileira apresenta obra feita para redes sociais

A Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) apresenta hoje (22), em concerto virtual, uma obra inédita de Antônio Ribeiro composta para ser executada nas redes sociais. Cantilena para ensemble de violoncelos fará parte do programa do terceiro concerto online da Série Clássica Brasileira, que contará também com obras de Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga, além de composições de autores estrangeiros.

“É uma estreia mundial”, diz o coordenador Artístico da OSB, Nikolay Sapoundjiev, sobre a obra do compositor brasileiro Antônio Ribeiro, escrita especialmente para este período de pandemia e de isolamento social. “A maior peculiaridade é que ela foi pensada para ser tocada nesse formato virtual, de gravação a distância. Eu acho que nunca antes os compositores pensaram que precisam escrever peças pensando nesse processo, que é bastante desafiador do ponto de vista logístico e tecnológico”. 

De acordo com Sapoundjiev, a obra contempla não apenas questões técnicas, mas as angústias desse período. O nome Cantilena foi escolhido por ser este um canto um pouco nostálgico e um pouco triste em certos momentos, refletindo a situação que estamos vivendo. O autor participou de uma conversa ao vivo na última terça-feira (20), onde explica a obra.

Ocupar os palcos virtuais não é tarefa simples. A OSB tomou essa decisão devido às limitações a aglomerações impostas pela pandemia do novo coronavírus. Transferir as apresentações para as telas foi uma forma de manter o trabalho da orquestra. 

Sapoundjiev explica que são 18 etapas até chegar à gravação final. “É muito diferente da dinâmica do ensaio e do concerto [presencial], sem falar que todos os músicos gravam sozinhos, dentro das próprias casas, ouvindo, no fone, um áudio guia, com metrônomo. Todo o material é, depois, juntado, analisado, editado, mixado, masterizado e enviado para o vídeo. O processo em si é muito desafiador”, diz. 

O programa contará ainda com a execução de Trumpet voluntary, do inglês Jeremiah Clarke, interpretado por um quinteto de metais. A obra é tocada em grandes eventos, como casamentos da família real britânica. Além de Quarteto para cordas nº 11, de Heitor Villa-Lobos; e Atraente, de Chiquinha Gonzaga, entre outros. 

A apresentação será às 19h, no horário de Brasília, com transmissão pelos canais da OSB no Facebook  e no Youtube.  

OSB

A OSB foi fundada em 1940 e é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. É responsável por revelar talentos como Nelson Freire, Arnaldo Cohen e Antônio Menezes e é pioneira na criação de projetos de democratização da música de concerto, como o Aquarius e os Concertos da Juventude. Atualmente, é composta por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros e tem uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas.

%d blogueiros gostam disto: